Banco Mundial alerta para aumento da pobreza no Brasil

11.04.2019

Senador Paulo Paim (PT/RS)
paulopaim@senador.leg.br

Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores Senadores. 

Um relatório do Banco Mundial, divulgado na semana passada, alerta para o aumento da pobreza no Brasil. 

Conforme a instituição, a pobreza atingiu 21% da população (43,5 milhões de pessoas), entre 2014 e 2017.

O documento intitulado “Efeitos dos ciclos econômicos nos indicadores sociais da América Latina: ...

... quando os sonhos encontram a realidade”, demonstra que o aumento da pobreza nesse período foi de 3%, ou seja, ...

... um número adicional de 7,3 milhões de brasileiros passou a viver com até 5,50 dólares por dia.

No ano de 2014, o total de brasileiros que viviam na pobreza era de 36,2 milhões (17,9%). 

O relatório aponta que o cenário negativo teve início com a forte recessão que o Brasil atravessou a partir do segundo semestre daquele ano, que durou até o fim de 2016.

O Banco Mundial avalia que o fraco crescimento da América Latina e Caribe, especialmente na América do Sul, ...

... afetou os indicadores sociais no Brasil, país que possui um terço da população de toda a região.

A instituição, mesmo assim mantêm as previsões de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, com altas de 2,2% em 2019 e 2,5% em 2020. 

Segundo o relatório, o México terá um crescimento de 1,7%, a Colômbia de 3,3%, a Argentina menos 1,3% e a Venezuela menos 25%.

O relatório do Banco Mundial afirma que os programas sociais podem ser os mais eficazes amortecedores dos choques econômicos. 

Segundo o economista-chefe do Banco Mundial para a América Latina e Caribe, Carlos Végh, abre aspas ...

"A região deve desenvolver, além dos programas estruturais existentes, ferramentas de rede de segurança social que possam apoiar os pobres e os mais vulneráveis durante o ciclo de baixa nos negócios", fecha aspas. 

Senhor Presidente,

O Banco Mundial está dizendo que a pobreza atingiu 21% da população brasileira, entre 2014 e 2017, ou seja... 43,5 milhões de pessoas.

Como resolver o problema? Creio que não é desregulamentando a Constituição Cidadã, retirando direitos sociais através das reformas trabalhista e da Previdência, ...

... congelando o teto de investimentos públicos por 20 anos.  

Criação de empregos é o caminho, e não o incentivo ao aumento dos lucros do setor financeiro... 

Aumento real do salário-mínimo, inflação mais PIB, aquece os mercados, distribui renda, combate à pobreza... 

Da mesma forma incentivar a indústria nacional e a micro, pequena e média empresa.  

A ONU reconhece o Bolsa Família como um dos mais necessários programas de combate à pobreza e a miséria.  

Lançado em 2003, o programa conseguiu reduzir pela metade a pobreza no Brasil (de 9,7% para 4,3%). 

Em 12 anos (2003/2015) o programa tirou 36 milhões de brasileiros da pobreza extrema. 

O Bolsa Família ajuda a garantir os direitos elementares de acesso à alimentação, saúde e educação.

De acordo com a ONU, o Brasil conseguiu reduzir em 73% a mortalidade infantil entre 1990 e 2015... 

Isso porque as famílias beneficiadas pelo Bolsa Família assumem o compromisso de acompanhar a vacinação, crescimento e desenvolvimento das crianças menores de sete anos.

Era o que tinha a dizer,
Sala das Sessões, 11 de abril de 2019.
Senador Paulo Paim. 
Compartilhe nas redes sociais: