Artigo do jornalista Juremir Machado, no Correio do Povo: Um progressista e um petista contra a reforma da Previdência

07.05.2019


Senador Paulo Paim (PT/RS)
paulopaim@senador.leg.br

Senhor presidente,
Senhoras e Senhores Senadores.  

Gostaria de registrar aqui, artigo do jornalista Juremir Machado, no jornal Correio do Povo, de Porto Alegre. 

Um progressista e um petista contra a reforma da Previdência...

Jair Soares foi governador do Rio Grande do Sul e ministro da Previdência. Ele é do Progressista. O PP é considerado de direita. 

Paulo Paim é senador. Ele é do Partido dos Trabalhadores. O PT é visto como de esquerda. 

Jair e Paim estiveram, segunda-feira, no Esfera Pública, na Rádio Guaíba, conversando comigo e Taline Oppitz. 

Ambos disseram a mesma coisa: ... 

Não há, sem desvio de recursos pelos governos, déficit da Previdência Social. 

O desvio acontece por meio da DRU (Desvinculação das Receitas da União), que autoriza agora saquear 30% do bolo previdenciário.

O déficit da Previdência é uma fraude. Jair Soares repetiu articulando cada palavra: “Não há dinheiro público na Previdência”. 

Segundo ele, o Estado, em qualquer nível, só contribui como empregador. 

Paim, o petista, e Jair Soares, o progressista, defenderam em uníssono o sistema solidário de repartição e criticaram a proposta de capitalização. 

Sem garantia pública, explicou Jair, o trabalhador, transformado em poupador compulsório, ficará à mercê da saúde do sistema financeiro. 

Tanto o “esquerdista” quanto o “direitista” destacaram que o regime proposto pelo ministro Paulo Guedes fracassou no Chile. Os dois estão prontos para debater com defensores da reforma proposta pelo presidente Jair Bolsonaro.

Com excelente memória e números na ponta da língua, Jair Soares já não obtém respostas do ministro Onyx Lorenzoni para suas manifestações sobre a reforma da Previdência. 

Os conhecimentos do ex-governador parecem incomodar. Jair aceita o estabelecimento de uma idade mínima para a aposentadoria. 

Pede, contudo, ponderação:... 

... “Na Alemanha, está em 64 anos. Só chegará a 67 em 2030”. 

Soares salientou que de FHC para cá esta é a sexta reforma da Previdência. 

Afirmou que só neste ano o governo vai, por meio da DRU, tirar cem bilhões da Previdência para colocar onde quiser:... 

“Estão dizendo que vão economizar um trilhão em dez anos, mas o governo tirou de 2002 a 2015 um trilhão e quatrocentos bilhões da Previdência”.

Soares lembrou que de 22 fundos previdenciários privados chilenos, 20 quebraram. 

Detonou a intenção do governo de desconstitucionalizar a Previdência para poder fazer o que bem entender. 

Criticou as desonerações que também sangram os recursos previdenciários. 

O Brasil não vai quebrar se a reforma não passar, salientou. Ironizou que os preocupados com a quebra não falam da dívida trilionária do país com seus altos juros. 

De quebra, disse que assina embaixo tudo o que Paulo Paim fala sobre a Previdência. 

Não bastasse, aos 86 anos, Jair Soares está empenhado, junto com o jornalista Flávio Tavares, em questionar a instalação de uma mineradora chinesa em Eldorado, o que poderá resultar em dano ao meio ambiente. 

Depois de ouvir o insuspeito Jair Soares e o incansável Paulo Paim só há uma coisa a concluir: a reforma da Previdência é um engodo.

Pena que os debates na grande mídia nacional acontecem sem contraponto. 

Era o que tinha a dizer,
Sala das Sessões, 07 de maio de 2019.
Senador Paulo Paim.  
Compartilhe nas redes sociais: