Registro sobre as mensagens divulgadas pelo The Intercept Brasil sobre o processo Lula e Lava Jato

10.06.2019

Senador Paulo Paim (PT/RS)
paulopaim@senador.leg.br

Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores Senadores. 

Nitroglicerina pura. Assim eu resumo as matérias jornalísticas do site Intercept, sobre mensagens trocadas entre o ex-juiz federal e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro e o procurador da República Deltan Dallagnol.  

Conforme as reportagens do Intercept, houve uma interferência de uma parte num processo judicial, contrariando a própria Constituição Cidadã de 88. 

Deve haver isenção, imparcialidade, neutralidade.

O Intercept informa, em seu site, que invocou o mesmo princípio e argumentação que levaram a divulgação de conversas entre a então presidente Dilma Rousseff e seu antecessor Luiz Inácio Lula da Silva...

Abre aspas, “o de que uma democracia é mais saudável quando ações de relevância levadas a cabo em segredo por figuras políticas poderosas são reveladas ao público”, fecha aspas. 

Eu entendo, que a Justiça não pode ficar sob suspeita. E, se ela está sob suspeita o que há de se fazer? A primeira coisa é apurar a verdade, e tão somente a verdade. E se há mais coisas embaixo do tapete que venham à tona.        

O combate à corrupção deve ser para todos: corruptos e corruptores. Não deve haver lado, peso ou medida. O contrário, é a luta do poder pelo poder.

 Senhor Presidente,

Registro aqui que há uma nota assinada por mais de cem juristas de renome, entre eles, Lênio Streck, Pedro Serrano, Gisele Cittadino, Arnóbio Rocha, ...

... Carol Proner, Geraldo Prado, Marco Aurélio de Carvalho, Gabriela Araújo, Fabiano Silva e Laio Morais...

... exigindo a completa investigação do caso. Trata-se de questão republicana. Em nome do combate à corrupção não se pode destruir o Estado Democrático de Direito e suas instituições. É o que se espera, em nome

dos mais altos interesses da República Federativa do Brasil. 

Era o que tinha a dizer,
Sala das Sessões, 10 de junho de 2019.
Senador Paulo Paim.  
Compartilhe nas redes sociais: