Farroupilha (RS) pode se tornar Capital Nacional do Moscatel Notícia postada em 06.12.2018


O Plenário do Senado aprovou nesta quinta-feira (6) projetos que conferem títulos a três municípios brasileiros. A cidade de Farroupilha (RS) poderá ser agraciada com o título de Capital Nacional da Uva Moscatel. É o que determina o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 83/2018, aprovado também no Plenário e que seguiu para sanção presidencial.

Do deputado Henrique Fontana (PT-RS), a proposta justifica que a cidade de Farroupilha é reconhecida pela qualidade no cultivo da uva moscatel, responsável pela produção de um dos tipos de espumantes mais apreciados no Brasil, tendo inclusive um dos seus vinhos, o Moscatel da Casa Perini, sido classificado como o quinto melhor vinho do mundo em 2017.

Na votação de Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), o relator, senador Paulo Paim (PT-RS), lembrou que Farroupilha obteve da Embrapa a indicação geográfica de procedência (IP) para os vinhos finos moscatéis: moscatel espumante, vinho fino tranquilo branco moscatel, frisante moscatel, licoroso moscatel, mistela e brandy de moscatel. A variedade da uva conhecida por moscato branco, citou ainda, é tradicional da região desde os anos 1930 e não é encontrada em outros países.

“A concessão do título de Capital Nacional do Moscatel, além de contribuir para a promoção dessa importante atividade econômica exercida com destaque pelo município, representará, para os agricultores e para a população local, o reconhecimento oficial da qualidade de seu trabalho e de seu empenho”, defendeu.

A proposta segue para sanção presidencial.

Salinas, em Minas Gerais, deve receber o título de Capital Nacional da Cachaça. A proposta (PLC 93/2018) segue para sanção presidencial.

A autora do projeto, deputada Raquel Muniz (PSD-MG), destaca que a produção de cachaça é uma importante atividade econômica do município, inserida também na sua vida cultural. Na cidade, funciona o Museu da Cachaça e anualmente ocorre o Festival Mundial da Cachaça.

Quando o texto foi aprovado na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), o relator, senador Antônio Anastasia (PSDB-MG), afirmou que o projeto propõe o reconhecimento legal do que já é uma realidade socialmente consagrada.

“Nada mais justo, portanto, do que reconhecer o grande valor e o aclamado sabor da cachaça artesanal de Salinas, concedendo-lhe o título de Capital Nacional da Cachaça”, defendeu.

Maçã
Os senadores também aprovaram o PLC 49/2017, que denomina o município de São Joaquim, em Santa Catarina, como Capital Nacional da Maçã. Com 26 mil habitantes e localizada a 200 quilômetros de Florianópolis, a cidade catarinense é a maior produtora de maçãs no país.

Dário Berger (MDB-SC) comentou em Plenário a fama de “Cidade da Neve” do local, que tem baixas temperaturas no inverno e geadas em vários meses do ano. Ele destacou o papel do município na produção da fruta.

— De cada 10 maçãs consumidas hoje no Brasil, se eu não estou equivocado, quatro são produzidas em São Joaquim.

Agência Senado 
Compartilhe nas redes sociais: