Regime de capitalização acaba com a Seguridade Social, afirma Paulo Paim Notícia postada em 19.03.2019


O senador Paulo Paim (PT-RS) afirmou nesta terça-feira (19) em Plenário que a reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro tem tudo para não acontecer. Ele relatou ter participado pela manhã desta terça-feira (19) de duas audiências publicas, nas comissões de Diretos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e de Assuntos Econômicos (CAE), nas quais nenhum parlamentar defendeu a reforma. Paim afirmou ainda que o regime de capitalização, principal mudança da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019, acaba com a Seguridade Social.

— Imagine achar que todo cidadão brasileiro tem dinheiro para botar na poupança. A pessoa não vai ter dinheiro para botar na poupança se ganha um ou dois salários mínimos. Paga remédio, aluguel, roupas, casa e muitas vezes tem que ajudar os netos e os filhos — disse Paim.

O senador desafiou os bancos a enviarem dois economistas na próxima segunda-feira (25), à CDH às 9h, para mostrar o ponto de vista de quem vende produtos de previdência privada.

— Por favor, eu estou convidando para ir lá defender a reforma que acaba com a Seguridade e, principalmente, com a Previdência Social — disse o senador, salientando que o governo propõe a substituição da Seguridade por poupança privada.

Paim também elogiou o líder do governo, senador Major Olimpio (PSL-SP) por, segundo ele, ter reconhecido que a reforma da Previdência tem como prosperar do jeito que está.

Agência Senado 
Compartilhe nas redes sociais: