Senadores do PT com estudantes no “tsunami” da educação contra Bolsonaro Notícia postada em 15.05.2019


Dia Nacional de Greve na Educação teve ampla adesão da sociedade na luta pela manutenção dos recursos para financiamento da educação pública

:: Rafael Noronha15 de maio de 2019  13:15

Foto: Alessandro Dantas

Cidades de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal começaram a manhã desta quarta-feira (15) com manifestações contrárias ao anúncio do bloqueio de 30% dos recursos para a educação anunciado pelo ministro da Educação de Bolsonaro, Abraham Weintraub.

Senadores da bancada do PT participaram das manifestações realizadas em Brasília. O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), afirmou que a história muda quando a juventude entra na luta pela manutenção dos direitos do povo.

“Estamos nas ruas para defender a educação dos ataques e cortes promovidos por Bolsonaro. Quando a juventude entra, a história muda. Essa grande mobilização vai marcar o início do fim desse governo de extrema direita que ataca escolas, universidades e institutos”, enfatizou.

O senador Paulo Rocha (PT-PA) também participou da manifestação em Brasília e disse estar feliz com a reação da população com o que está acontecendo com o País na gestão Bolsonaro.

“É fundamental esse movimento de defesa da educação. Essa é a verdadeira balbúrdia que esse governo está promovendo em nosso País. Cortar dinheiro da educação e das pesquisas é colocar o País no atraso. Por isso estamos nas ruas junto ao povo”, disse.

Antes de seguir para a rua, o senador Jean Paul Prates (PT-RN) comemorou a aprovação, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Proposta de Emenda Constitucional (PEC 19/2017), de autoria da ex-senadora Fátima Bezerra (PT-RN) que veda a edição de medidas provisórias sobre diretrizes e bases da educação nacional.

Já o senador Paulo Paim (PT-RS) afirmou que hoje é o dia de fazer muita “balbúrdia” em defesa da educação básica, ensino médio, escolas técnicas e universidades e contra os cortes que já chegam a R$ 7,4 bilhões. “As aulas serão nas ruas e praças do nosso País”, destacou.

O senador Jaques Wagner (PT-BA), em artigo, afirmou que a manifestação desta quarta-feira é a marca de uma resistência crescente diante da tentativa de desmonte da educação por parte do atual governo.

“Enfraquecer o ensino e o pensamento crítico integra o projeto de fazer do Brasil uma Nação destruída, apequenada, quintal do mundo”, enfatizou.

Para o senador Rogério Carvalho (PT-SE), vice-líder da bancada, os cortes promovidos por Bolsonaro na educação pública brasileira “não são por causa da crise econômica. São parte da tentativa de esvaziar o senso crítico da população”.

 FONTE: PT NO SENADO 
Compartilhe nas redes sociais: