Paim propõe realização de debate no Plenário sobre a democracia no país Notícia postada em 22.05.2019
O senador Paulo Paim (PT-RS) afirmou em pronunciamento, nesta quarta-feira (22),  que já ter obtido 51 assinaturas para requerer a realização de um debate no Plenário sobre a democracia. Ele disse que os outros 30 senadores também assinariam, porque nenhum deles é contra o regime democrático. O senador ressaltou que o fortalecimento da democracia é importante para buscar soluções para os problemas do país, que sofre com a estagnação econômica, num quadro que de depressão no qual se perdem 100 mil empregos por mês.

De acordo com o parlamentar, o objetivo é que participem do debate representantes do Legislativo, do Executivo e do Judiciário, além de personalidades convidadas, entre elas ex-presidentes e cientistas políticos. Para Paim, é preciso fortalecer o entendimento de que a discussão é fundamental e que o diálogo é da essência do Parlamento.

— O debate é fundamental. O diálogo é a essência do Parlamento. Parlamento é falar, dialogar e conversar, com equilíbrio, bom senso e construção coletiva, senão não vamos a lugar algum. A troca de experiências, a construção de políticas no campo social, no campo econômico. Enfim, nós vivemos a experiência de uma jovem democracia. Já passamos por momentos muito difíceis. Nós sabemos o que foi o passado e o que está acontecendo no presente — afirmou o senador.

Paim lembrou a frase do então presidente da Câmara dos Deputados, Ulysses Guimarães (1916-1992), segundo a qual "que quem ataca a Constituição não é patriota, não é brasileiro; é inimigo da pátria". O senador também criticou a convocação de manifestações contra o Congresso por partidários do presidente da República, Jair Bolsonaro.

— Esse chamamento, no próximo domingo, para a realização de uma grande mobilização, quando se diz que vão invadir o Congresso, é de uma falta de bom senso, eu diria, imensurável. Não dá para medir isso. Eu espero que, de fato, seja tudo fake news e que isso não aconteça de jeito nenhum — afirmou Paim.

Agência Senado
Compartilhe nas redes sociais: