Paim destaca audiência sobre feminicídio no Brasil Notícia postada em 17.06.2019


A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) discutiu, nesta segunda-feira (17), o feminicídio no Brasil. O senador Paulo Paim (PT-RS) citou em Plenário os números que mostram a dimensão desse tipo de violência no país. Segundo dados apresentados durante a audiência pública, a cada dois segundos, uma mulher é violentamente espancada no Brasil. Além disso, a cada três dias uma mulher é assassinada.

Conforme o parlamentar, pesquisas também indicam que o agressor normalmente é alguém que convive ou conviveu com a mulher violentada, como marido, companheiro ou namorado.

— O feminicídio não é paixão, é um crime hediondo, é um crime cruel. Não tem justificativa. O assassinato de uma mulher não se faz por amor, paixão, e sim, porque o outro é criminoso — afirmou.

Paim também criticou a ausência de políticas de Estado e elogiou a decisão da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) por ter sustado o decreto que facilita o acesso ao porte e posse de armas. Ele disse esperar que o Plenário confirme a decisão da CCJ, já que especialistas ouvidos na audiência da CDH afirmaram que as principais vítimas da liberação do armamento — da forma como está no decreto —, são as mulheres.

Agência Senado
Compartilhe nas redes sociais: