Ato em Defesa da Constituição de 1988 e da Democracia lota Teatro Dante Barone Notícia postada em 01.11.2019
Lideranças de todo o Estado do Rio Grande do Sul defenderam a Constituição de 1988 e criticaram os ataques aos direitos trabalhistas, previdenciários, a PEC 55 que congelou investimentos e as declarações de ameaça a ordem democrática que vem acontecendo no país, durante o ato realizado nesta quinta-feira (31), no Teatro Dante Barone, em Porto Alegre.  

Foi uma grande festa da democracia. Assim pode ser definido o evento em comemoração aos 31 anos da promulgação da Constituição Cidadã de 1988, organizado pela Frente Ampla pelo Brasil e diversas entidades da sociedade civil  e movimentos sociais.

O senador Paulo Paim comentou o atual momento que atravessa o Brasil: "Aonde querem chegar? Em um país sem leis? Onde o povo não tem voz?" E alertou: "É preciso agir rápido! Chega desse cenário de violência, feminicídios, de morte de negros, pobres, LGBTS! Chega de fake news!" E conclamou: "A nossa responsabilidade é enorme! Não há democracia sem respeito ao meio ambiente".

Paim defendeu uma Frente Ampla, "tão ampla que abracem todas as Frentes" e complementou "Queremos um Brasil gigante, da grandeza do nosso continente!".
 
Maria Lúcia Fatorelli, Coordenadora Nacional da Auditoria Cidadã da Dívida, fez uma análise da dívida pública brasileira e citou o constituinte gaúcho Hermes Zanetti que foi o autor do artigo que defende a revisão da dívida e que nunca foi implementado. Fattorelli afirmou que mesmo quem votou nesse governo está pagando as consequências da política econômica. "Precisamos estancar essa invasão do capital do financeiro por meio dessas contrarreformas e dessa política suicida".

Conheça mais a Auditoria Cidadã da Dívida, acessando aqui. Posicione contra o PLC 459/2018 e a PEC 438/2018.

O economista Eduardo Moreira criticou duramente a concentração de renda existente no Brasil e as políticas implementadas pelo atual governo. "Estamos aqui para defender esse Estado que uns odeiam e outros amam. O Estado é a única coisa nesse mundo capitalista, selvagem e competitivo, que nos une como Nação".  Moreira defendeu o Estado como distribuidor de renda e criticou: "Hoje 50% das terras do Brasil  estão nas mãos de menos de 1% e 99% da riqueza do Brasil estão nas mãos de meia dúzia de pessoas. O PIB do Brasil vem diminuindo de 2012 pra cá, enquanto a renda dos milionários só cresce. Será que esse pedaço desamparado do Brasil podemos chamar de Nação?" questionou.
 
Gerusa Pena, presidente da UEE - União Estadual dos Estudantes falou sobre a importância da participação da juventude na luta política, na história do Brasil e sobre a importância da educação na formação do povo. "Hoje quem está no poder quer um povo ignorante. Eles acham que nós não podemos estar nos espaços de poder". Gerusa defendeu o Prouni, o Fies e a Política de Cotas e conclamou a todos: "Juntos precisamos ir as comunidades, conversar com as pessoas que votaram nesse governo, pois nem todos são fascistas. Eu tenho esperança e quero que vocês estejam comigo para dar resposta aqueles que se colocam como inimigos dos trabalhadores e da educação".
 
Mais de 130 entidades dos mais  diversos campos políticos e sociais, movimento negro, mulheres, LGBTQIA+, pessoas com deficiência, juventude, quilombolas participaram o evento. Além de Norton Nascimento da UGT que falou em nome das Centrais Sindicais; Claudir Nespolo, Presidente da CUT/RS; Guiomar Vidor, presidente da CTB/RS; Carlos Alberto Machado Alves, Levante Popular; Berna Menezes, Povo sem Medo;  Pepe Vargas, presidente do PT/RS; Pompeu de Matos, presidente do PDT/RS; Vicente Selistre, Secretário Geral do PSB/ RS; Nivaldo Santana da Executiva Nacional do PC do B;  Fernanda Melchiona, PSOL RS; Tiago Kidrick, representando a OAB/RS; Dom Humberto Gonçalves, Bispo da Igreja Anglicana; Dom Adilson Busin, Bispo Auxiliar/CNBB e ainda estiveram presentes Deputados Federais, Estaduais e vereadores.

Constituintes
A amplitude política do ato foi representada pelos constituintes gaúchos presentes, como José Fogaça (MDB), Paulo Paim (PT), Olívio Dutra (PT) e Victor Faccioni (na época no PDS). Foi exibido um vídeo com o discurso feito por Ulisses Guimarães na promulgação da Constituição.
 
Celebração artística e religiosa
O evento contou apresentação artística do grupo Unamérica e o hino nacional e do RS foram cantados pela cantora Claudia Quadros, além do Ilê Oxalá Orumilaia Biemi e Iemanjá Bomi e Iyá Nara Regina Baptisca Carvalho.  
 
Manifesto
Durante o evento, o senador Paulo Paim fez a leitura da carta manifesto, aprovada por aclamação pelos presentes. Para ler o texto na íntegra, acesse aqui

Confira as fotos do evento aqui
 
Rubem Pires Junior - MTb 9310/RS
Fotos: Lutiana Mott
Compartilhe nas redes sociais: